Nasofibrolaringoscopia

Apesar de extremamente complicado, o exame de nasofibrolaringoscopia é um procedimento relativamente simples e que não oferece nenhum tipo de risco ao paciente que o realiza. Concentrando-se na parte alta das vias aéreas, isto é, faringe, laringe e nariz, o exame de nasofibrolaringoscopia é realizado por meio de um aparelho chamado laringoscópio, um tipo de endoscópio. Existem dois tipos de laringoscópio: um que normalmente é introduzido pela boca, de estrutura rígida, e outro introduzido pelo nariz, mais flexível. Mas independente do tipo, o que os dois têm em comum é o fato de terem uma microcâmera acoplada na extremidade, que permite que o médico que está realizando o exame visualize com detalhes as áreas analisadas. A visualização pode ser feita de maneira direta ou de maneira indireta, por meio de visualização em vídeo. Neste último caso, recebe o nome de videolaringoscopia.


Realização do exame

Por ser relativamente simples, a preparação que o exame de nasofibrolaringoscopia requer é mínima. É padrão que o médico requeira um jejum de no mínimo 2 horas para a realização do exame, já que a introdução do laringoscópio é capaz de provocar náusea e mesmo vômito. Pacientes que tomam medicamentos para hipertensão devem tomar os medicamentos de manhã, ingerindo o mínimo de água possível. No entanto, os pacientes diabéticos só podem fazer uso da medicação após o exame.

O exame de nasofibrolaringoscopia não toma mais que 10 minutos e por sua simplicidade é realizado em ambulatório. Pede-se que o paciente fique sentado e ponha a língua para fora para que o aparelho seja introduzido. Para diminuir o desconforto do paciente, geralmente é aplicado um anestésico em spray na laringe a na faringe.

Como o exame requer a colaboração do paciente, geralmente só pode ser realizado em crianças maiores de 12 anos. Em crianças menores e em adultos que apresentam que apresentam uma reação maior de incômodo, é necessário utilizar uma anestesia por veia, e nestes casos o exame de nasofibrolaringoscopia é realizado com o paciente deitado.


Casos de recomendação

Como se trata de um procedimento que analisa uma importante, ampla e complexa área do corpo humano, o exame em questão pode ser aplicado com uma série de objetivos. Investigação de lesão nas cordas vocais e na cavidade oral, hipofaringe, laringe, otofaringe e cavidade oral são apenas alguns exemplos. Outras condições nas quais o exame de nasofibrolaringoscopia é recomendado são:

- Dificuldades para engolir alimentos sólidos e líquidos;

- Feridas frequentes na boca (aftas);

- Rouquidão ou perda da voz por um período consideravelmente de tempo;

- Tosse por período prolongado e/ou acompanhada de sangue;

- Refluxo gástrico;

- Sensação de estar com um caroço na garganta (globus faríngeo);

- Pacientes com tabagismo crônico;

- Pessoas que possuem na família antecedentes de câncer de pescoço ou cabeça.

Além de sua função de diagnóstico, o exame em questão também possui funções curativas, como cauterização de lesões, retirada de nódulos, retiradas de corpos estranhos, dilatação ou estreitamento de cordas vocais, acompanhamento para verificação de evolução de doenças, dentre diversas outras.


Nossas Unidades
Barueri
Cajamar
Carapicuíba I - Tâmara
Carapicuíba II - Inocêncio
Itapevi
  • Rua Escolástica Chaluppe,30 Centro
  • 11 3883-3373/4553-6626
  • Atendimento Seg a Sex: 8h às 18h Sábados: 8h às 12h
  • Saiba mais
  • Agendar consulta
Jandira
  • Av. André Vidal de Negreiros,276 Centro
  • 11 4707-2250/4789-3401
  • Atendimento Seg a Sex: 8h às 21h Sábados: 8h às 12h
  • Saiba mais
  • Agendar consulta
Jd. Mutinga
Osasco I - Helena Maria
Osasco II - Santo Antônio
Pq. dos Camargos
Copyrights © 2016-2019 Hospitalis - Todos os direitos reservados